Tapioquinha Maria Bunita

A Maria do Capitão, como era chamada, foi pioneira no cangaço e abriu portas para que outras também pudessem entrar para o bando. Uma mulher que fez história e que agora se traduz para a marca Tapioquinha Maria Bunita.

A mistura de delicadeza e força está presente na fonte serifada com espessura robusta. As arestas que ultrapassam os limites das letras representam a rebeldia e o fora do comum.

Assim como as muitas histórias escondidas por trás da Maria, essa marca também tem a sua. Cada aresta representa uma das sete correntes de ouro que a cangaceira exibia em volta do pescoço. Um lado vaidoso que poucos conhecem.

O ícone também ganha espaço no logotipo, representando num só símbolo a tapioca, prato típico da culinária nordestina e o principal produto da marca; o sol característico da região; e o chapéu de couro, símbolo do cangaço que, apesar de não ser usado pelas cangaceiras, está bem acima do nome “Maria Bonita”.

Para compor a identidade visual da marca Tapioquinha Maria Bunita foi desenvolvido diversos elementos gráficos inspirados na culinária, natureza e artesanato nordestino, como o crochê e o bordado.